Cliente deixa 2.500€ de gorjeta em restaurante, e uma inspiradora mensagem de Natal

No passado sábado Dwayne Clark sentou-se no seu lugar habitual, no restaurante The Brief Encounter Café, em Bellevue, em Washington, nos Estados Unidos, e fez o pedido, também habitual: ovos, batatas fritas e bacon extra crispy. Por ser um cliente habitual, o staff não achou a sua visita fora do comum…

Até receberem a conta, acompanhada de um cheque, e de um bilhete em nada comuns! O CEO da casa de acolhimento Aegis Living, decidiu fazer algo extraordinário!

Com a conta de cerca de 40 dólares (cerca de 33 euros), o homem de 58 anos decidiu juntar um cheque no montante de 3 mil dólares (cerca de 2.500 euros), junto com uma mensagem de Natal, saindo do restaurante antes que algum dos membros do staff se tivesse apercebido do seu ato!

No passado sábado Dwayne Clark sentou-se no seu lugar habitual, no restaurante The Brief Encounter Café, em Bellevue, em Washington, nos Estados Unidos, e fez o pedido, também habitual: ovos, batatas fritas e bacon extra crispy. Por ser um cliente habitual, o staff não achou a sua visita fora do comum…

Até receberem a conta, acompanhada de um cheque, e de um bilhete em nada comuns! O CEO da casa de acolhimento Aegis Living, decidiu fazer algo extraordinário!

Com a conta de cerca de 40 dólares (cerca de 33 euros), o homem de 58 anos decidiu juntar um cheque no montante de 3 mil dólares (cerca de 2.500 euros), junto com uma mensagem de Natal, saindo do restaurante antes que algum dos membros do staff se tivesse apercebido do seu ato!

“Eu como ali muitas vezes, e vejo que as pessoas que aqui trabalham são pessoas de muito boas atitudes, e muito esforçadas. Portanto, quando a minha mulher foi ter comigo ao restaurante, depois de ter feito algumas compras de Natal, começámos a falar do significado do Natal… Eu agarrei o cheque e disse: ‘Acho que vou mudar a vida de muitas pessoas hoje’.”, referiu Dwayne Clark, o CEO, em declarações ao jornal Today.

Segundo Julie Wilson, de 42 anos, uma das empregadas que estava de serviço naquele sábado, foi exatamente isso que aconteceu: “Eu não me apercebi do seu ato logo, porque o restaurante estava cheio…. Foi apenas quando regressei ao escritório que consegui ler o seu bilhete e aí desfiz-me em lágrimas”, refere.

No bilhete, Dwayne Clark escreveu sobre a sua infância e sobre a casa de acolhimento que gere há 28 anos e que presta assistência às comunidades de Washington, California e Nevada.

Em declarações ao jornal Today, o CEO presta crédito do seu atual sucesso precisamente à sua infância e a todo o seu background:

“Eu venho de uma família disfuncional, sou o mais novo de 4 filhos. A minha mãe era divorciada, o meu pai era extremamente abusivo, em termos psicológicos. Vocês fazem um excelente trabalho. Quando eu era novo, lavava os pratos e a minha mãe cozinhava, tal como vocês cozinham aqui. Nós éramos muito pobres e não tínhamos dinheiro para festejar o Natal. Espero que esta pequena ajuda vos ajude a celebrar o Natal”, escreveu Dwayne Clark na parte detrás do cheque.

E vai ajudar, com toda a certeza!

Julie Wilson, a empregada, referiu entretanto que o dinheiro será dividido pelos 12 empregados. “Vai ajudar a tornar o Natal deles mais feliz!”, referiu.

Inicialmente, o CEO não queria qualquer tipo de referência ao seu ato de bondade, mas conseguiram-no localizar, graças ao seu número de telemóvel, deixado junto ao cartão de crédito, por motivos de combate à fraude, e agora que foi identificado, Dwayne Clark espero inspirar outros a semelhante ato.

Ele espera iniciar, com isto, um movimento grande em que as pessoas possam deixar um bilhete e algum dinheiro extra a acompanhar as suas contas nos restaurantes.

“Estamos a viver uma altura em que nos estamos a conectar uns aos outros, seja por motivos políticos, seja por motivos tecnológicos… Penso que o motivo pelo qual as pessoas gostam desta história não se relaciona com o dinheiro, mas antes com o conceito de partilha e conexão. Não seria maravilhoso se pudéssemos alimentar as almas alheias, no bom sentido?”, referiu Dwayne Clark.

Julie Wilson acha a ideia fantástica e vai aproveitar o dinheiro para o doar a uma instituição de caridade, comprando perús para o Natal, ajudando, assim, famílias sem-abrigo a terem um melhor Natal.

  • Comentar